o significado simbólico e psicológico por trás de o rei leão

Depois desse post sobre o significado simbólico e psicológico por trás de O Rei Leão, você vai querer sentar com seu sobrinho e fingir que está assistindo por causa dele.

O Rei Leão

Esse longa é simplesmente repleto de arquétipos e, perceptivelmente – mesmo que inconscientemente -, influenciado pelo mito de Osíris do antigo Egito.

No filme, existe uma divergência entre dois irmãos. E já no nome começa o simbolismo: “Scar” que significa literalmente “cicatriz” em inglês, é um símbolo de que esse personagem tem uma “ferida antiga”, algo que ele carrega e que está visível, um tipo de ressentimento – ele é o “irmão mal”; e Mufasa, o rei, é o “irmão bom”. Esse motivo psicológico é encontrado tanto na bíblia (com Cain e Abel), quanto no mito citado anteriormente (com Osíris e Set).

Publicidade - OTZAds

A história bíblica todos já conhecem (irmãos, inveja, assassinato), por isso irei abrir um pouco do mito egípcio. Para que você perceba como, ou todos contam a mesma história com vestes culturais diferentes, ou possuem muitos dos mesmos arquétipos em contextos distintos.

O Mito de Osíris

Resumão: Osíris é o imperador/rei/bonzinho, e Set o irmão invejoso que queria o lugar dele. Numa celebração, Set arruma um jeito de Osiris entrar numa “arca” de ouro (caixão, rs) e o prende lá. Ele manda despedaçar o corpo um muitas partes e o espalha por todo o território.

Obs.: “irmão, inveja, assassinato…” esse padrão te lembra alguma coisa? Agora, vale ressaltar que o mito egípcio tem mais de 4 mil anos de idade.

Continuando: Ísis, esposa de Osíris, consegue achar os pedaços dele e os leva até Tote (ou Thoth), que o “ressuscita”. Ela, então, na forma de um pássaro, se relaciona com Osíris. Desse encontro nasce Hórus.

Depois disso, Osíris vai para o “submundo” e vira “juiz”, lá. Pesando o coração dos mortos contra uma pena.

Hórus e Simba

Hórus cresce afastado do reino, assim como Simba, que após a morte do pai, é manipulado, caçado e levado a fugir para o deserto. Ambos Hórus (filho de Osíris) e Simba (filho de Mufasa) são os heróis das suas respectivas histórias. Os dois são filhos de pais que foram mortos pelos irmãos invejosos de suas posições. Os dois crescem afastados e os dois voltam para lutar contra o tirano e tio. E os dois vencem.

Osíris e Mufasa

Osíris e Mufasa são símbolos da “estrutura social”. E ambos estão “cegos” para a tirania que está emergindo, representada por seus próprios irmãos – Set e Scar, respectivamente. Quando a estrutura cai – é despedaçada no caso do mito egípcio e morre no caso da animação -, a tirania se instaura.

Olho de Hórus

No desenho, essa “cegueira” (da estrutura social, de Mufasa) é representada pelo pássaro (símbolo de visão) falho – que não é capaz sequer de tomar conta da Nala e do Simba. Enquanto que no mito egípcio, a própria deusa Ísis se transforma em pássaro e seu filho com Osíris é representado com a cabeça de um falcão. O Olho de Hórus, símbolo que se encontra na pele de tanta gente, tatuado, é uma representação justamente de que esse filho nasce com aquilo que o pai não tinha. Assim como Simba consegue perceber no tio, depois de maduro, aquilo que o próprio pai não percebia (não queria acreditar que era verdade).

Publicidade - OTZAds

O Rei Leão contém outros aspectos fascinantes para além do paralelo com mitos antigos.

Hakuna Matata

Simba fica um tempo imerso naquele estado inconsequente e imaturo, que foi sintetizado genialmente por “hakuna matata” (“our problem-free philosophy ” – traduzindo livremente, “nossa filosofia que não envolve problemas). Mas o que a maior parte das pessoas não entende é que essa parte do longa é uma crítica a esse estado, e não uma elevação do mesmo.

Assim que Simba é introduzido no grupo, com Timão e Pumba, eles lixam as garras dele e o ensina a comer apenas insetos. Metáfora para “o tornar inofensivo” e “perder a agressividade”. Porém, uma atitude madura não é excluir essa parte da nossa personalidade, mas integrá-la. As garras são úteis, a agressividade é útil – sem ela simba nunca teria vencido Scar.

“É melhor ser um guerreiro no jardim do que um jardineiro na guerra.”

Aspectos Feminino e Masculino

É Nala que interrompe esse ciclo “adolescente”. Assim como no mito egípcio é Ísis que junta as partes de Osíris, e ela é o fator pássaro da equação que gera Hórus. Assim como Nala percebe/amadurece muito antes de Simba.

Mas ambas narrativas apontam para a necessidade de um equilíbrio entre os aspectos feminino e masculino da nossa psique. Indicam que aquilo que vence a tirania, aquilo que prospera, é uma união de ambos aspectos.

E lembrem, muitas dessas histórias são codificações no nível das ações de uma mensagem. As histórias são dramatizações das nossas ações e, dessa forma, a maneira mais eficiente para fazer alguém lembrar de algo (comprovadamente).

Então, tudo é metáfora, analogia, símbolo. O objetivo é justamente fazer sentido em mais de uma camada de análise, interpretação e entendimento.

Rafiki – Xamã

Como o xamã, o sábio (representado pelo Rafiki), que o atrai até uma experiência transcendente na qual Simba é confrontado com a própria imagem refletida na água. Mas Rafiki pede para ele olhar de novo (olhar mais fundo), e é quando vê a imagem de seu pai.

Obs.: a água é símbolo antiquíssimo do inconsciente – o que significa no contexto da cena que se você olhar com suficiente atenção, fundo na sua psique, você encontrará “a imagem do seu pai” ali (em você).

Publicidade - OTZAds

Depois disso ele vê o pai nas nuvens – experiência xamânica purinha -, e então sabe o que precisa fazer. Esse é o rito de passagem que ele vivencia. Símbolo de amadurecimento e transição para fase adulta. Ele assume sua responsabilidade enquanto quem é. O resto da história você já sabe.

Esses são alguns dos arquétipos e metáforas que compõem o significado simbólico e psicológico por trás de O Rei Leão.

Obs.: para notar tudo que falei aqui, veja o desenho original de 1994, não o filme recente de 2019.

por Rafael Jordão.

Para mais sobre símbolos e arquétipos, veja esse post sobre Jung.