Parece matéria sensacionalista, não é verdade? Mas pasmem! É real aconteceu com o aposentado Michel Assef! Não basta provar que está vivo em 2020: é preciso provar também para o ano anterior, de acordo com exigência da Caixa Econômica

Quando você pensa que já viu de tudo no Brasil, você é confrontado com alguma coisa bizarra. Não é piada caros leitores, ao contrário, o caso é muito sério.

Publicidade - OTZAds

O advogado Michel Assef, de 74 anos, teve a aposentadoria suspensa, pois precisava provar que estava vivo para continuar a receber o benefício. Seguiu a recomendação do INSS, dirigindo-se à uma agência da Caixa Econômica Federal para apresentar a prova de vida de 2020. No entanto, o assunto não se resolveria assim tão facilmente.

Publicidade - OTZAds

Depois que fez toda a burocracia, comprovando que estava vivo em 2020, o aposentado se viu envolvido em outra exigência da Caixa: teria que provar que estava vivo também em 2019. Isso mesmo, ele teria que provar que estava vivo no ano anterior!!!

Michel Assef disse:

“Informaram-me que eu teria que ir em outra agência fazer a prova de vida de 2019. Eu achei que estavam de brincadeira, porque se eu estou vivo em 2020, é claro que estava vivo em 2019, disse o advogado a resportagem especial do jornal “Extra”, do Rio de Janeiro. — .

Publicidade - OTZAds