filosofia, notícias, informação, e muito mais!

Exibindo: 1 - 10 de 20 RESULTADOS
Filosofia Opinião Reflexão

Metamorfoses: camelo ou leão?

Das três transformações No início dos discursos de Zaratustra, Nietzsche menciona três possíveis transformações do espírito, a saber: Camelo -> Leão -> Criança. Nossa análise será restrita, nesse momento, a primeira dessas transformações: o camelo. Você já transmutou a leão ou ainda é camelo?  Esse homem ufano de seu ateísmo, que se agarra a razão …

Reflexão Textos críticos

VERDADE SOBRE A CONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA

“A verdadeira questão é: quantas verdades consigo suportar?” Nietzsche A identidade é um conjunto de caracteres próprios e exclusivos de uma pessoa; nome, cultura, idade, sexo, estado civil, filiação. É também a consciência de si mesmo (FERREIRA, 2009). Muitas vezes o entendimento da psicologia em uma tentativa para compreender o sujeito e suas singularidades constituídas, …

Reflexão

Sempre fomos seres virtuais.

Reproduzir que “sempre fomos” é uma grande novidade para muitos, mas também, muito se é falado sobre o que somos de uma forma individual; do desenvolvimento do indivíduo. O que pretendo falar nesse texto é uma constatação do desenvolvimento humano como espécie. O surgimento do Homem Virtual. Embora, no dia a dia, seja muito comum …

Reflexão

Sobre a embriaguez das nossas escolhas.

[vc_row][vc_column][vc_text_separator title=”Do que se trata?” title_align=”separator_align_left” color=”white” border_width=”3″][vc_column_text]Uma perspectiva ocidental inspirada na denuncia à embriaguez do homem frente às suas escolhas, feita pelo místico e poeta indiano Kabir, um dos santos-poetas da Índia Medieval.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_text_separator title=”Sobre a embriaguez das nossas escolhas.” title_align=”separator_align_left” color=”white” border_width=”3″][vc_column_text]As grandes escolhas – escolhas que acompanham o homem por toda a sua …

Reflexão

O Antigospel

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Lembro de frequentar a igreja em minha adolescência. Com 17 anos havia uma música que me impactava profundamente, em boa parte pela incrível voz de seu cantor, mas principalmente pelo refrão: “Eu nada sou sem o teu amor”. Uau… que pecado! Primeiramente o leitor pode pensar que “é uma linda declaração”, ou que “horrível! Atribuir …